quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Smithsonian Channel - Nature Tech --- Biomimética: A ciência que se inspira na natureza para resolver problemas da humanidade

Clique na Imagem: Ampliar
Nature Tech 
A Natureza já resolveu (em milhões de anos de Tentativas, Erros => Sucessos) os problemas com que nossas Primitivas e Ineficientes Tecnologias ainda se debatem...

Esta série, do Smithsonian Channel, mostra como podemos ACELERAR TODAS AS NOSSAS CIÊNCIAS se "descermos do pedestal onde nos colocamos" (Donos da Natureza - Oh, ignorante pretensão!). 

Sejamos mais EFICAZES sendo Aprendizes desta Imensa Biblioteca de Soluções, até para Problemas que ainda não enxergamos.



Biomimética: A ciência que se inspira na natureza para resolver problemas da humanidade

(...) A lógica aqui é totalmente inversa a exploração, a biomimética acredita que a natureza deve ser “consultada”e não apropriada ou domesticada, o que reforça a ideia de sustentabilidade. Áreas como a arquitetura, design, engenharia, biologia são as que mais se aproveitam dessa ciência.

A natureza funciona de forma perfeita, não há desperdício de energia: Existe cooperação, diversidade, adaptação de forma e função, tudo com muita otimização de uso.

Abaixo você confere alguns produtos inspirados na natureza que foram publicados nos sites Raciocínio Cristão e Tecmundo e um Ted de Janine Benyus, co-fundadora do Biomimicry e autora do livro Biomimicry: Innovation Inspired by Nature (em português seria – Biomimética: Inovação Inspirada pela Natureza), sobre o tema aplicado no design, que foram enumeradas pelo site The World Has Power:

segunda-feira, 17 de junho de 2019

O que eu aprendi com um ano de trabalho na Dinamarca


Fórum Econômico Mundial: Competências para o Século XXI

O que podemos aprender com a Dinamarca?
Tradução da legenda do vídeo do Fórum Econômico Mundial:



O que eu aprendi com um ano de trabalho dinamarquês

TRADUCAO DE:
19 Mar 2019
  1. Christian BasonCEO, Danish Design Centre
  2. Simona Maschicofounder and director, Copenhagen Institute of Interaction Design
Quando cheguei pela primeira vez à Dinamarca, fiquei com meu melhor amigo. Seu irmão, que acabara de ser demitido, também estava morando com ela. Toda manhã, ele vestia um terno como se fosse trabalhar e passasse o dia em um café. Ele estava tão relaxado. Parecia um luxo ser despedido.

Seu comportamento era totalmente estranho para mim. Na Itália, de onde eu sou, eu estaria desesperado para encontrar um novo emprego. Então eu perguntei por que ele estava tão calmo. Por que eu não estaria? ele disse.

Ele ainda estava recebendo 80% do seu salário anterior, e seria por dois anos, graças a um benefício dinamarquês chamado dagpenge. Ele não sentia amargura em relação ao seu ex-empregador, nem seu empregador tinha escrúpulos em dispensá-lo, sabendo que ele seria tratado e provavelmente não iria reclamar ou processar. Além disso, quando não está tomando um latte, o irmão de meu amigo estava se recuperando ativamente, tendo aulas para aprender novas e úteis habilidades que o atraíam - tudo com o dinheiro do governo. Isso pode parecer um tabu pesado para os contribuintes pegarem, mas garantiu que seu próximo emprego seria  melhor, protegendo contra o risco econômico muito maior de repetir o desemprego. A mensagem foi: Tome seu tempo, precisamos que você seja estável, empregado e feliz.

Felicidade. Você ouve muito sobre o monopólio da Dinamarca em um brilho mental à luz de velas nos dias de hoje. “Hygge” - esse sentimento de contentamento confortável - deslocou as cadeiras de meados do século e a Lego como nossa exportação mais popular. Leia qualquer um dos inúmeros livros mais vendidos sobre o modo de vida dinamarquês e é fácil acreditar que uma boa iluminação e um bolo quadrado são tudo o que você precisa para produzir luz do sol interna em um dos lugares mais escuros da Terra.

Mas a história não contada sobre por que os nórdicos acumulam os três primeiros lugares no índice de felicidade todos os anos é melhor ilustrada pela história que você leu acima. E há um milhão de outras formas profundamente comuns em que a sociedade, a infraestrutura e as empresas são projetadas para cultivar valores como confiança social, comunidade e bem-estar profundo, e não apenas uma pausa para o chá da tarde.

A crença no bem-estar coletivo é inculcada desde a infância na Dinamarca - que a saúde de um canteiro de flores é comprometida quando uma papoila alta suga mais do que seu quinhão de água e nitrogênio. Há muitos, muitos exemplos de como essa crença é expressa, a minha favorita é que o significado da palavra dinamarquesa para impostos - "skat" - é traduzido como amor, querida, querida, luvvie, babe e ducky, apesar dos Dinamarqueses comprometerem  metade de seus salários para isto.

Esses impostos são cobrados para apoiar o que chamaremos de design centrado no coletivo da Dinamarca. Não é socialismo, veja bem. É verdade que os países nórdicos têm fortes sistemas de bem-estar social, mas dependem da receita gerada por um sistema capitalista para financiá-lo. E, contrariando o que os políticos americanos podem alegar, o primeiro-ministro Lars Løkke Rasmussen assegura-nos que a Dinamarca é impulsionada por uma economia de mercado.

Mas não uma sem coração. Como residente aqui, você se sente confiante de que pessoas como o irmão de meu amigo serão atendidas da mesma maneira que você gostaria de ser cuidado. Isso permite que você expire de maneira significativa. A ansiedade existencial e a sensação de isolamento que ouvimos dos nossos amigos nos EUA é muito baixa aqui. Isso também aparece na cultura de negócios, onde jovens empreendedores dinamarqueses estão mais focados em gerar valor humano do que em avaliação.

Eu agora estou liderando o Instituto de Interatividade de Copenhague há 12 anos. Quando conheci Christian, o chefe do Centro de Design dinamarquês, em um dia tipicamente cinza e chuvoso, concordamos que era muito dinamarquês - e talvez não tão italiano - ser ambicioso e empreendedor contra um pano de fundo mínimo intencionalmente humilde. Desde então, nos unimos para orientar a próxima geração de startups nórdicas em um programa chamado Innofounder, adotando os principais princípios de design do estilo de vida dinamarquês e injetando-o com um pouco de força de alta potência.

Com base no que aprendemos trabalhando com esses jovens empreendedores, aqui estão alguns valores que podem contribuir para uma cultura de trabalho um pouco mais dinamarquesa - garantindo capital humano e econômico a longo prazo:

Deixe o trabalho às 16h

Os dinamarqueses têm entre as semanas de trabalho mais curtas do mundo - há um enxame de motociclistas indo para casa às 15h45 - e ainda ocupam o segundo lugar na UE no Índice Global de Empreendedorismo 2017. Como tudo isso se soma? Acontece que a nossa produtividade melhora com menos horas de trabalho. Nos países mais ricos do mundo, a produtividade mais alta se correlaciona com semanas de trabalho mais curtas. Isso também permite que os funcionários tenham um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Quer ir ao ginásio antes do jantar? OK. Pegar seus filhos da escola? Ok. Quando seu dia de trabalho termina às 3:45 em vez de 6, o resto do dia não parece um sprint.

Ignore o sucesso pessoal

Nos países nórdicos, os jovens aprendem que responsabilidade coletiva, empatia e ser um bom cidadão são mais importantes do que o sucesso pessoal. Apesar disso, para um país com menos de 6 milhões, produzimos gigantes internacionais em quase todos os setores, inclusive saúde (Novo Nordisk), Indústria (Maersk) e bens de consumo (Lego e Carlsberg). Essas empresas, que respondem por uma fatia maior do PIB geral, não são fundadas e administradas por lobos solitários como Jobs, Zuckerberg e Bezos, mas sim por fundações familiares. Essas empresas também investem muito dinheiro em programas públicos (incluindo os nossos), tanto na Dinamarca quanto no exterior. Isso beneficia não apenas o futuro dos negócios, mas o futuro de todos.

Incentive o jogo arriscado

Não estamos falando de quedas de confiança no retiro da empresa. Se você deseja acelerar a inovação e reduzir a ameaça de ser interrompido (ou completamente substituído) pela tecnologia emergente, incentive o jogo verdadeiramente arriscado desde tenra idade. Em Davos, este ano, o capitalista de risco de Taiwan, ex-Googler, e o especialista em IA, Kai Fu Lee, disseram que precisamos desenvolver as habilidades que os algoritmos não podem executar tão bem quanto os seres humanos. E de acordo com o Fórum Econômico Mundial, as habilidades que irão construir a resiliência de sua força de trabalho (e reduzir a ansiedade de se tornar irrelevante) incluem coisas como empatia, habilidades de pessoas, resolução de problemas complexos, coordenação com outros e criatividade.

Como você constrói essas qualidades? Construir playgrounds mais perigosos seria um bom começo. Na Dinamarca, os parques infantis são cheios de elementos naturais, como água e galhos rústicos; trampolins e picos altos sem redes de segurança; e até mesmo mini ciclovias com semáforos para que as crianças possam praticar seu futuro trajeto com pedal. Espera-se que as crianças assumam riscos, negociem e ajudem umas às outras, conversem com estranhos e voltem para casa com joelhos machucados. Essa expectativa também deve funcionar. A tolerância ao fracasso, os escritórios que permitem brincadeiras criativas e devaneios, a permissão para tomar a iniciativa e o financiamento para pequenos grupos farão muito para construir capacidades exclusivamente humanas.

Pague as pessoas de maneira significativa

Na Dinamarca, o governo cobre três vezes mais do que outros países para creches públicas precoces (a partir do momento em que seu filho faz 1). Isso libera os pais para permanecer no mercado de trabalho: a partir de 2017, 76% das mulheres dinamarquesas trabalham, segundo a OCDE, comparado a 56,8% nos EUA. As crianças também vão à escola gratuitamente, do jardim de infância à universidade na Dinamarca, para que eles e seus pais não tenham dívidas quando se formam. Como não é provável que isso seja um custo que outros governos podem ou vão assumir, a indústria privada em outros países poderia preencher e oferecer ajuda com empréstimos estudantis em vez de um benefício de maternidade / paternidade. Por exemplo, o Wells Fargo oferece bolsas de estudo para filhos de funcionários, variando de US $ 1.000 a US $ 3.000 cada. Mais que isso, ajudaria a preencher a falta de apoio público e fazer muito para aumentar a fidelidade e retenção em sua força de trabalho.


Inicie rituais que criam confiança

Outra chave para construir uma cultura de trabalho produtiva e colaborativa é a construção de vínculos significativos entre os funcionários. Assim, enquanto o resto do mundo se preocupa com o aumento das habilidades STEM e a alfabetização precoce, as crianças dinamarquesas aprendem a cozinhar umas para as outras. Como parte de seu currículo, as crianças da escola primária alternam as casas umas das outras no horário do jantar. Dois ou três fazem a refeição para os colegas, e o resto serve e limpa. Que rituais você poderia construir em seu local de trabalho que se concentram menos em saber como codificar e mais em um código de conduta que construa uma profunda confiança, colaboração e o valor coletivo de ajudar os outros a serem bem-sucedidos?

Com certeza, a Dinamarca é um país pequeno, rico e relativamente homogêneo. Nós não estamos sobrecarregados com muitos dos desafios modernos com os quais outras nações lutam, então nosso conselho pode ter um cheiro da elite auto-satisfeita. Mas para empresas e startups que acumulam riquezas sem precedentes e imaginam a melhor forma de gastá-las, construir um senso de coletividade, confiança, estabilidade e, sim, felicidade criará um halo de positividade em torno de seus negócios que se desenvolverão de maneiras maravilhosas.

No artigo original tem um link para Grupo Whatsapp.

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Disrupção Montadoras - Estacionamentos - Queda de Viagens Ônibus - Micro Mobilidade (Bikes, Patinetes, etc. elétricos) - Nissan Leaf: R$50 = 240 Km (EV-Veículo Elétrico) => Abundância ou Desastre?






‘Efeito Uber’ provoca revolução nos estacionamentos 
Disrupção Estacionamentos: buscam reinvenção com uma série de novos serviços, entre carros compartilhados, bicicletários e prestação de serviços

https://link.estadao.com.br/noticias/inovacao,efeito-uber-provoca-revolucao-nos-estacionamentos,70002856454

Parte de:  Mobilidade-como-um-Serviço (MaaS) descreve uma mudança de propriedade pessoal de meios de transporte para soluções de mobilidade  que são consumidos como um serviço.

Isso é possibilitado  através da combinação de serviços de transporte públicos e prestadores privados de serviços de transporte, através de um servidor de acesso unificado  que cria e gerencia a viagem, a qual os usuários podem pagar com uma única conta.

Os usuários podem pagar por viagem ou uma taxa mensal para uma distância limitada. O conceito-chave por trás de MaaS é oferecer aos viajantes soluções de mobilidade com base em suas necessidades de viagem.  (...)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mobilidade_como_servi%C3%A7o


Viagens de ônibus: queda - Mudanças Mobilidade Urbana
Custo alto, má qualidade dos carros, ineficiência das rotas levam passageiros à busca de alternativas de mobilidade.


*São Paulo*
SP tem menor número de viagens de ônibus em 10 anos
Uso do bilhete único caiu 50% em 2017. Elevação da tarifa faz passageiro buscar outras formas de transporte

https://www.mobilize.org.br/noticias/10823/sp-tem-menor-numero-de-viagens-de-onibus-em-10-anos.html

*Belo Horizonte*
Queda no número de usuários de ônibus é a maior em 11 anos
Entre 2016 e 2017, coletivos perderam 33 milhões de passageiros, que consideram o modal caro e sem qualidade

https://www.otempo.com.br/cidades/queda-no-n%C3%BAmero-de-usu%C3%A1rios-de-%C3%B4nibus-%C3%A9-a-maior-em-11-anos-1.2009836

*Belém*
(...) Em 2018, a quantidade média de passageiros pagantes/mês foi de 17.108.573. "Se comparado ao ano anterior, esse número sofreu uma redução de aproximadamente 1.800.000 pagantes. (..)

https://www.oliberal.com/belem/em-24-horas-35-ônibus-ficaram-no-prego-em-belém-1.112145

*Curitiba*
2018/2017 = menos 2,89 milhões
2017/2016 = queda foi de 19,8 milhões
2016/2015 = diferença foi de 17,6 milhões de passageiros

“A crise econômica gerou uma queda muito grande no uso do vale-transporte.?As facilidades para comprar carros e a concorrência dos aplicativos de transporte também pesaram”,

https://www.gazetadopovo.com.br/politica/parana/transporte-coletivo-tem-reducao-de-quase-3-milhoes-de-passageiros-em-2018-e57cgyw3pfyko0nv2y5ydovv9/

*Maceió*
Empresas de ônibus registram pior queda de passageiros da história em *Maceió*
Comparado com 2015, houve uma redução de 24%, o que significa um prejuízo mensal de 6 milhões e 72 milhões ao ano
O primeiro mês de 2019 registou o pior número de passageiros da história das empresas de transporte de Maceió,...

https://maceio.7segundos.com.br/noticias/2019/02/20/133485/empresas-de-onibus-registram-pior-queda-de-passageiros-da-historia-em-maceio.html

*Natal*
Número de passageiros de ônibus em *Natal* cai 22% em cinco anos
Crise econômica e desemprego de um lado, aumento da frota de veículos particulares..., somados à ineficiência do serviço de transporte público, aos novos padrões de consumo, e ao advento de aplicativos de transporte individual.

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/naomero-de-passageiros-de-a-nibus-em-natal-cai-22-em-cinco-anos/423417


*ANUÁRIO: Pelo quarto ano seguido ônibus urbano perde passageiros* 01/08/2018 | NTU
Estudo feito pela NTU mostra queda de 3,6 milhões de usuários por dia e revela aumento das gratuidades nos coletivos

(*O estudo é feito com base em nove capitais analisadas na série histórica* - Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo )

De acordo com levantamento anual, feito há 25 anos pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), o serviço de transporte público coletivo urbano continua em declínio no País. Dados do Anuário 2017-2018 revelam que, no ano passado, a redução média de demanda foi de 9,5% (a terceira maior desde o início da série histórica), equivalente à perda diária de 3,6 milhões de passageiros em todo País, em comparação a 2016.

Segundo o estudo da NTU, o transporte público por ônibus perdeu 35,6% dos passageiros pagantes em pouco mais de 20 anos. Isso ajuda a explicar, por exemplo, o aumento das tarifas, já que agora há menos usuários rateando os custos da operação, já que a oferta do serviço não é reduzida na mesma proporção da queda do número de usuários.

Outro agravante da situação é a sobrecarga das gratuidades concedidas a estudantes, idosos e outros passageiros definidos em lei, que em um ano passou de 17% para 20,9%. Isso significa que um em cada cinco passageiros viaja de graça atualmente; como esse custo também é rateado entre os usuários pagantes, o maior o peso das gratuidades também encarece o valor das tarifas.

A diminuição da demanda foi agravada especialmente nos últimos cinco anos (a partir de 2014), culminando em uma perda média acumulada de 25,9% dos usuários pagantes. O estudo é feito com base em nove capitais analisadas na série histórica - Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo - e compara o desempenho do setor levando em consideração os meses de abril e outubro de cada ano.

A redução expressiva de usuários do serviço agrava o desempenho do setor, que só acredita na retomada do crescimento e níveis de produtividade mais seguros mediante a adoção de um conjunto de ações focadas em três eixos fundamentais: melhoria da qualidade dos serviços ofertados; transparência do setor para a sociedade e preços acessíveis aos passageiros.

"Infelizmente, o número de demanda vai continuar caindo enquanto não houver políticas públicas de prioridade ao ônibus nas vias e enquanto o passageiro for o único a arcar com os custos da tarifa", afirma Otávio Cunha, presidente executivo da NTU. Ele também atribui o agravamento da situação ao impacto negativo do cenário econômico do país, que favorece o aumento do desemprego e restringe até os deslocamentos para quem busca trabalho.

https://www.ntu.org.br/novo/NoticiaCompleta.aspx?idNoticia=1005&idArea=10&idSegundoNivel=106


Wi-Fi rápido e gratuito da Google chega ao Brasil 
Democratização de Acesso, também, à apps de Mobilidade

https://www.tecmundo.com.br/internet/142218-google-station-brasil-8-pais-estacoes-wi-fi-rapido-gratuito.htm


Nissan Leaf: R$50 = 240 Km EV (Veículo Elétrico)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • 240 quilômetros é autonomia média mais próxima para uso no Brasil
  • Custo é alto na comparação com o de países com programas de incentivo
  • Ainda assim, é competitivo quando temos gasolina custando quase R$ 5
  • Elétrico começa a ser vendido de fato no final de julho
  • Preço é de R$ 178.400



🤩/😱Disrupção Montadoras: Abundância ou Desastre?

================================================
UMA VISÃO ESTRATÉGICA PARA ENERGIA e MOBILIDADE  
================================================
______
#Clean #Disruption: evidências    

>>> SAIBA MAIS:

DISRUPÇÃO LIMPA DE ENERGIA E TRANSPORTE - Tony Seba - A era industrial, na energia e nos transportes, acabará até 2030. Talvez antes.

* Legenda em Português do vídeo Tony Seba: Clean Disruption - Energy & Transportation (‎28‎ de ‎janeiro‎ de ‎2018, ‏‎19:10:14- ( na última imagem: como assistir com a legenda e colaborar para sua aprovação ))

#TransiçãoEnergética   #Energias   #TransporteComoServiço    #JeremyRifkin   #TonySeba

(Celular)  
(Telas Grandes)  


Algumas de minhas colaborações para analise de Oportunidades e Riscos da:

- 🖱#Revolução 4.0:🖱 #nanotecnologias, #neurotecnologias, #robôs, #inteligênciaArtificial, #biotecnologia, #sistemasArmazenamentoEnergia, #drones  e #impressoras3D. 


#QuartaRevoluçãoIndustrial #ParaQuem⁉


"Havia um trabalho importante a ser feito e todos tinham certeza de que ALGUÉM o faria. 

QUALQUER UM poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fez.

ALGUÉM zangou-se porque era um trabalho de TODOS.

TODO MUNDO pensou que QUALQUER UM poderia fazê-lo, mas NINGUÉM imaginou que TODO MUNDO deixasse de fazê-lo.

Ao final, TODOS culparam ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que QUALQUER UM poderia ter feito."

terça-feira, 30 de abril de 2019

Humanidade Transcenderá 'Matrix Financeira' Minimizando Sofrimentos?

Millennials serão ricos?  ( Millennials: nascidos entre 1981 e 1996 )
The Economist: Millennials americanos pensam que serão ricos
Os dados sugerem que eles provavelmente não serão



Humanidade Transcenderá 'Matrix Financeira' Minimizando Sofrimentos?

RESUMO:
1. O Algorítimo (Mecanismos Financeiros de Acesso e Trocas de Bens e Serviços) e a Disrupção Tecnológica (IA / Quarta Revolução industrial / Transformação Energética)

2. Frankenstein Financeiro / Capitalismo Parasitário (Bauman) / Minotauro Global (Varoufakis)

3. Algumas das Evidências dos Riscos que Corremos se não ASSUMIRMOS, COMO HUMANIDADE e não APENAS como Consumidores, Devedores, Eleitores, Investidores (papéis que restringem nosso PODER frente ao Algorítimo (Mecanismos Financeiros de Acesso e Trocas de Bens e Serviços)) CRIADO POR NÓS, para ATENDER NECESSIDADES HUMANAS):  



1. O Algorítimo (Mecanismos Financeiros de Acesso e Trocas de Bens e Serviços)  
Lucros e Perdas (Business As Usual) continuam orientando as aplicações da Disrupção Tecnológica (IA / Quarta Revolução industrial / Transformação Energética) sem considerar os impactos individuais e sociais.

Sociedades tem que se informar e organizar para que os resultados não sejam para poucos (cada vez menos: 1% tendem à 0,1%, 0,01%, etc.)

O Algorítimo (Mecanismos Financeiros de Acesso e Trocas de Bens e Serviços) - que tem nos servido por milênios para administrar a escassez e garantir a sobrevivência da Humanidade - mostra-se, cada vez mais, desajustado  para administrar a ABUNDÂNCIA CRIADA PELA CIÊNCIA HUMANA. Pode até comprometer a própria sobrevivência do SAPIENS (Crises Ambientais, Econômicas, Políticas, Sociais, etc., decorrentes dos Mecanismos Financeiros,  parecem estar gerando um ambiente mais propicio à doenças e violências do que à Felicidade Humana).

Cada vez mais os humanos - tentando se adaptar / sobreviver neste Algorítimo (Mecanismos Financeiros de Acesso e Trocas de Bens e Serviços) CRIADO POR NÓS, para ATENDER NECESSIDADES HUMANAS   - nos parecemos mais com a Analogia da Trilogia de Filmes Matrix, onde Humanos são Componentes de uma Super Estrutura Tecnológica CRIADA POR HUMANOS e à qual se TORNARAM SUBMISSOS...


2. Frankenstein Financeiro / (Capitalismo Parasitário (Bauman) / Minotauro Global (Varoufakis)

sábado, 19 de maio de 2018
DENÚNCIAS e PROPOSTAS - Congregações do Vaticano (Doutrina para a Fé e do Desenvolvimento Humano Integral) denunciam financismo da 'clepto-pluto-corporato-cracia' internacional (Capitalismo Parasitário (Bauman) / Minotauro Global (Varoufakis))


Na publicação acima, links para, entre outras referências: 

Capitalismo Parasitário - transformar uma enorme maioria de homens, mulheres, velhos e jovens numa RAÇA DEVEDORES
Atual "contração do crédito" não é resultado do insucesso dos bancos. Ao contrário, é fruto, plenamente previsível, embora não previsto, de seu extraordinário sucesso. Sucesso ao transformar uma enorme maioria de homens, mulheres, velhos e jovens numa RAÇA DE DEVEDORES - Zigmund Bauman

Dinheiro- o 'Sistema Circulatório da Economia de Mercado'. QUE ESTÁ COM 'GANGRENA'.
--- " Não há falta de comida no mundo.
--- O que ocorre é que um grande número de seres humanos NÃO TEM DINHEIRO PARA COMPRAR COMIDA! " (não têm como ser atendidos pelo atual Mecanismo de Acesso e Trocas de Bens e Serviços - o Sistema de Mercado)

Algumas das propostas, em estudo e / ou pilotos de implantação, para superar as limitações do atual Mecanismo de Acesso e Trocas de Bens e Serviços (Sistema de Mercado):

________________________________
quinta-feira, 24 de janeiro de 2019
Globalização Financeira (Lucro Monetário como Medida de "Eficiência") é SUICÍDIO
Finanças NÃO se refere à PRODUÇÃO. Baseia-se em DÍVIDAS. E quando as Dívidas forem IMPAGÁVEIS?


3. Algumas das Evidências dos Riscos que Corremos se não ASSUMIRMOS, COMO HUMANIDADE e não APENAS como Consumidores, Devedores, Eleitores, Investidores (os papéis que restringem nosso PODER frente ao Algorítimo (Mecanismos Financeiros de Acesso e Trocas de Bens e Serviços) CRIADO POR NÓS, para ATENDER NECESSIDADES HUMANAS):

Amazon: robotizando humanos
InfoMoney: Amazon demite funcionários via software que mede produtividade, sem análise humana.


Drones x Motoboys
#jovempan #jornaldamanha
Serviço do Google, Wing faz primeira entrega com drone na Austrália

Os "Cachorros Loucos" aceitarão "na paz" seus substitutos?...  
#EntregasPorDrones #Padaria  #SPSãoCarlos  #Amazon #JDcom


IA auto-didata é melhor ainda no jogo de estratégia Go
Programa de inteligência artificial AlphaGo Zero treinado em poucos dias, sem nenhuma entrada humana

Quando o AlphaGo venceu o campeão mundial de Go, Lee Sedol, em 2016, quebrou-se uma barreira: que os computadores não conseguiriam ganhar de humanos em jogos complexos, como Go. O sul-coreano Lee Sedol era, à época, 18 vezes campeão mundial do jogo, e considerado o melhor jogador da história deste jogo.

O AlphaGo foi treinado para analisar 30 milhões de posições no tabuleiro, analisando 160.000 jogos. Para comparação, um ser humano vive em média 26 milhões de minutos e assim o AlphaGo já começou sabendo mais que qualquer humano. Mas, ele foi além no treinamento. Jogou contra ele mesmo por 6 meses o que equivale a seis décadas humanas. Em resumo, começou como super humano.

Poucos meses depois, uma nova versão apareceu. Esta começou do zero, aprendendo sozinho, jogando contra ele mesmo. Apenas tinha como base as regras básicas do jogo. Não precisou aprender com jogadas de humanos. Em apenas 40 dias de aprendizado a nova versão ganhou da versão anterior, que ganhava dos humanos.

Que isso nos mostra? Que a velocidade em que a IA evolui é simplesmente atordoante e o que parece impossível hoje talvez em um ano seja coisa passada.


Self-taught AI is best yet at strategy game Go
Artificial-intelligence program AlphaGo Zero trained in just days, without any human input. Elizabeth Gibney


- Evandro Barros - CEO - DATA H | Founder I2A2 - Instituto de Inteligência Artificial Aplicada | Artificial Intelligence Alchemist


#IA #ExoPlanetas
"A NASA treinou uma inteligência artificial que é capaz de identificar em frações de segundos  o que é e o que não é um planeta.

Como pesquisadora da Usp fico feliz em ver aplicações que aceleram o trabalho dos cientistas."
- Alessandra Montini • 
Diretora do Labdata, Consultora em Big Data e Inteligência Artificial, Professora na FEA-USP, Coordenadora na FIA

Como a inteligência artificial está ajudando a NASA a buscar vida fora da Terra
Tecnologia permite identificar exoplanetas com mais facilidade e simular condições ideais para a existência de vida em outros mundos
17/04/2019 


IA=80% do PMO!
A próxima década será revolucionária para a gestão de projetos, devido à ascensão de sistemas de inteligência artificial nas empresas.



  
Estônia está desenvolvendo o primeiro "juiz robô" do mundo #LawTech  #LegalTech

#Impressão3D: #Casa #Popular em 24hs!!! 

#RH( #IBM ): #IA= 30% #redução   

#Supermercados com #CaixasSemAtendentes

#Zaitt - 1º Mercado 100% Autônomo da América Latina



#CoesãoSocial X #DesempregoTecnológico
--- *#Riscos: #Doenças e #Violências 
=> Como #Sociedades poderão lidar com este nível de #DesempregoTecnológico em #CurtoEspaçoTempo??? 
Marcadores: #Construção_Civil, #Conveniência, #Desemprego_Tecnológico, #Human_Less, #IBM, #Impressão3D, #Inteligência_Artificial, #Supermercado, #Zaitt

(Ver também comentários da publicação acima para mais exemplos de:
aplicações da IA / Quarta Revolução industrial / Transformação Energética GERANDO A NECESSIDADE da Humanidade Transcender 'Matrix Financeira')

segunda-feira, 8 de abril de 2019

#CoesãoSocial X #DesempregoTecnológico --- #Riscos: #Doenças e #Violências - #Impressão3D: #Casa #Popular em 24hs!!! - #RH( #IBM ): #IA= 30% #redução - #Supermercados com #CaixasSemAtendentes - #Zaitt - 1º Mercado 100% Autônomo da América Latina







#CoesãoSocial X #DesempregoTecnológico 
--- #Riscos:   #Doenças e  #Violências  


O modelo Vulcan II se saiu muito bem nos testes, produzindo residências econômicas de 25 metros quadrados em 24 horas
(...) Segundo os responsáveis, uma das grandes vantagens do sistema é que ele pode ser transportado do laboratório e zonas bem controladas diretamente para o mundo real, sem que estranhe as condições climáticas adversas.




#RH( #IBM ):  #IA= 30% #redução 

#Supermercados com #CaixasSemAtendentes podem ser encontrados no Brasil | SBT Brasil (09/09/17) - YouTube

#Zaitt  (Vitória-ES / São Paulo-SP-João Cachoeira)- 1º Mercado 100% Autônomo da América Latina - 26/02/2018 - YouTube


=> Como #Sociedades poderão lidar com este nível de  #DesempregoTecnológico em #CurtoEspaçoTempo??? 

👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇

_____________________________
#RH( #IBM ): #IA= 30% #redução  
>> Livrar-se do atual sistema de RH <<

Tradução de parte das observações da CEO da IBM, Ginni Rometty em evento da CNBC, 



_____________________________
#Supermercados com  #CaixasSemAtendentes ( #HumanLess )  podem ser encontrados no Brasil | SBT Brasil (09/09/17) - YouTube


_____________________________
#Zaitt - 1º Mercado 100% Autônomo da América Latina - 26/02/2018 - YouTube

Zaitt João Cachoeira-SP  - 31/03/2019


Acelerando! Também. AQUI. (4a. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL) 

Um exemplo: #Zaitt ( #Conveniência sem funcionários - #HumanLess )


_____________________________
LEMBREMOS DE SETOR PIONEIRO:

Bancos sem Pessoas atendendo  (Brasil: 1.500.000 para 300.000 bancários. 
Com QUEDA de Poder Aquisitivo dos atuais bancários em relação ao que possuíam décadas atrás...) 

https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6446533945273122816/


>>> Fica a questão crucial: #renda = #demanda... ) 

[#Links e uma #analise aqui]:


____
VER TAMBÉM:

#QuartaRevoluçãoIndustrial #ParaQuem⁉ 
👉Links na Descrição e Comentários da publicação: 4.0 Para Quem?  

🖱Revolução 4.0:🖱 #nanotecnologias, #neurotecnologias, #robôs, #inteligênciaArtificial, #biotecnologias, #sistemasArmazenamentoEnergia, #drones  e #impressoras3D. 👈



👆👆👆👆👆👆👆👆👆👆👆👆👆  
#RH( #IBM ):  #IA= 30% #redução 

#Supermercados com #CaixasSemAtendentes podem ser encontrados no Brasil | SBT Brasil (09/09/17) - YouTube

#Zaitt  (Vitória-ES / São Paulo-SP-João Cachoeira)- 1º Mercado 100% Autônomo da América Latina - 26/02/2018 - YouTube

=> Como #Sociedades poderão lidar com este nível de  #DesempregoTecnológico em #CurtoEspaçoTempo??? 🙄🤔